Cidassp discute orçamento para 2020

O membros do Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável (Cidassp) com sede em São Sebastião do Paraíso discutiram na terça-feira, 6, o orçamento do órgão para o ano de 2020, estimado em R$ 204 mil. O valor — composto pela taxa administrativa paga pelos municípios consorciados, é menor se comparado a 2019, quando foi estimada uma arrecadação de R$ 219 mil. Entre os planejamentos a serem executados estão a operação do aterro sanitário. A reunião aconteceu na Secretaria de Meio Ambiente.

Durante o encontro, os integrantes discutiram a programação orçamentária para o próximo ano e avaliaram as atividades que estão sendo desenvolvidas pelo órgão. Uma das propostas aprovadas pelos presentes foi a abertura de uma vaga de estágio remunerado na área de Direito por um período de três meses e que irá auxiliar nos trabalhos do Cidassp. O órgão ainda trabalha no estudo de viabilidade para destinar todo o resíduo dos municípios consorciados para o aterro e também para uma usina térmica nos moldes da que existe em Boa Esperança/MG. A usina é capaz de gerar energia que será distribuída a todos os municípios participantes, podendo os mesmos terem aumento no ICMS Ecológico.

De acordo com a secretária  municipal de Meio Ambiente, Yara de Lourdes Souza Borges, será necessário construir uma vala emergencial no aterro sanitário de Paraíso para que ele possa receber os resíduos locais e, posteriormente, dos demais municípios quando o Consórcio estiver funcionando. Ela informou ainda que, não foi aprovada pela Câmara local a entrada de Cássia e Capetinga ao Cidassp. “As cidades já enviaram as documentações, porém os vereadores fizeram novos questionamentos. Enquanto isso não se resolve, o órgão vai continuar com as ações sem estas cidades ”, disse Yara.

O prefeito Walker Américo Oliveira – atual presidente do Cidassp, ressaltou a importância de aumentar o número de municípios participantes do Consórcio. “Todas as cidades da região estão sendo cobradas e enfrentando problemas com o Ministério Público por conta da destinação correta de seus resíduos e, apesar de toda burocracia, temos que pensar grande e trabalhar em forma de consórcio, que é uma solução viável para este problema”, afirmou, dizendo, ainda, que o órgão conseguiu maquinário para ajudar nas atividades do aterro.

O Cidassp é formado por sete municípios: Fortaleza de Minas, Itamogi, Jacuí, Monte Santo de Minas, Pratápolis, São Sebastião do Paraíso e São Tomás de Aquino. A finalidade do órgão é destinar de forma correta os dejetos gerados pelos municípios consorciados, visando a melhoria das condições de saúde pública, meio ambiente e qualidade de vida da população, além de viabilizar a manutenção e operação do aterro sanitário situado na zona rural da cidade.